Posts

Como funcionam os passeios?

Desde 2014 somos uma empresa especializada em turismo de aventura com Stand Up Paddle e Caiaques.

Realizamos passeios turísticos em Florianópolis e na Palhoça. Atualmente oferecemos 9 roteiros em Florianópolis e 3 na Palhoça. Saiba mais: Roteiros

Florianópolis: Lagoa do Peri – Cachoeira da Gurita, Ilha do Campeche, Ilha do Francês, Canal da Barra, Pântano do Sul – Praia da Solidão, Farol de Naufragados, Downwind lagoa da Conceição, Lagoa do Peri – Margem Oeste e Ilha Ratones Grande

 

Palhoça: Rio Maciambu (Saiba mais.) Ilha do Papagaio (Saiba mais) e Guarda do Embaú.

Guiamos o passeio com toda segurança necessária e fornecemos pranchas de Stand Up Paddle e Caiaques com 1, 2 e 3 lugares.
Quem tem equipamento próprio também pode participar.

Quando acontece?

No período da alta temporada, entre 15 de Dezembro e 15 de Março, os passeios acontecem todos os dias.

Durante a baixa temporada os passeios acontecem todos os fins de semana, feriados e durante a semana com agendamento.

Programação dos roteiros:

A programação é realizada de acordo com a previsão climática. A condição do vento, tempo e das marés precisam estar adequadas para nossa segurança.

Oferecer um passeio em condições seguras é nossa obrigação, por isso monitoramos constantemente sites e aplicativos especializados em previsão climática.

  • Se o roteiro é realizado no mar, monitoramos a previsão do vento e da ondulação.
  • Se o roteiro é realizado em águas abrigadas (lagoa, rio ou canal), levamos em consideração a previsão do vento e das marés

O fator tempo também é analisado. Se houver previsão de chuva com possibilidade de raios, o passeio pode ser cancelado. Mas se não houver previsão de raios, o passeio acontece normalmente.

Afinal, vamos estar praticando um esporte aquático, então se molhar não pode ser um problema.

Receba a programação dos passeios no seu email.

Contato

Requisitos de participação:

  • Para participar não precisa ter experiência (exceto Ilha do Campeche). Oferecemos as instruções sobre a remada e os procedimentos de segurança antes de iniciar o passeio.
  • Não precisa saber nadar, utilizamos colete salva-vidas que garantem nossa flutuação na água.
  • Crianças a partir de 4 anos podem participar na prancha com adulto responsável.
  • Não precisa ter um grupo para participar do passeio, pode ser individual.

Tarifas:

  • Para quem precisa alugar equipamento o valor é R$120,00. Incluso: prancha ou caiaque, remo, leash, colete salva-vidas e roupa em neoprene long john + guia e apoio de instrutoras de SUP com qualificações em técnicas do esporte, salvamento aquático e primeiros socorros + cobertura de segura médico e de vida para atividades de turismo de aventura.
  • Para quem tem equipamento próprio o valor é R$40,00. Incluso colete salva-vidas + guia e apoio de instrutoras de SUP com qualificações em técnicas do esporte, salvamento aquático e primeiros socorros + cobertura de segura médico e de vida para atividades de turismo de aventura.
  • Criança é cobrado 50% do valor da reserva.
  • Desconto de 15 % para grupos a partir de 10 pessoas.

Tempo de duração:

Os passeios têm duração de 4 horas. Mas não são 4 horas remando!

Esse é o tempo para toda dinâmica da atividade, entre trajeto da ida, volta, paradas para descanso e lanche.

Alguns roteiros também têm trilha e cachoeira.

Se preferir receba a programação dos passeios no seu Whatsapp. Clique aqui e solicite.

 

Retomada Tapera Stand Up Paddle

A Prefeitura de Florianópolis autorizou o retorno às atividades do projeto social esportivo Tapera Stand Up Paddle no início de agosto.
O projeto atende às adequações da vigilância sanitária e está em conformidade com o decreto municipal que permite a prática de esportes aquáticos individuais. 

Kyara de 9 anos no primeiro dia do retorno às aulas

 

Desde 2018 o projeto é realizado pelo Instituto Bem Possível através da parceria entre a Fundação Municipal de Esportes e a Floripa Stand Up Paddle, com o apoio da Decathlon Florianópolis.

O projeto atende crianças entre 6 e 13 anos do Centro de Convivência e Fortalecimentos de Vínculos do bairro da Tapera (CCFV- Tapera). Saiba mais https://www.floripastanduppaddle.com/projeto-social/

Aula na Praia da Tapera em 2018 

Entre as 60 crianças do CCFV – Tapera, 40 já foram inscritas por suas famílias. A realização ao ar livre, os cuidados com a higiene e a possibilidade de manter o distanciamento durante a prática, contribuem para a decisão da prefeitura e das famílias.

A decisão da prefeitura e das famílias promove a qualidade de vida física e emocional das crianças, ainda mais agora que não é permitido frequentar a escola, o centro de convivência ou praticar a maioria dos esportes.

Enquanto o Lucas de 11 anos rema, o irmão Matheus de 13 anos lança a tarrafa.

Nos dias com a condição climática favorável, eu e a pedagoga Carla Zeni oferecemos a aula na Praia da Tapera. Quando o clima não está adequado, oferecemos aula on-line. O projeto acontece duas vezes por semana no período da manhã e da tarde.

Para atender às adequações necessárias, o projeto reduziu o número de 15 para 5 crianças por turma. Apesar disso, as 40 crianças inscritas são acolhidas de maneira rotativa.

Confira as medidas de segurança adotadas pelo projeto aprovadas pela Fundação Municipal de Esportes:

  • Aula realizada em ambiente aberto, obedecendo o distanciamento de 1,5m entre os alunos
  •  Higienização dos equipamentos
  • Higienização das mãos com álcool gel na chegada para a aula
  • Aferição da temperatura das crianças antes de iniciar a aula
  • Uso obrigatório da máscara de proteção quando estiverem na areia
  • Cada criança recebe sua prancha, remo, colete salva-vidas e roupa em neoprene long john
  • Os equipamentos não podem ser compartilhados, exceto entre irmãos

Além das aulas, as crianças também recebem atendimento da equipe psicossocial formada pelo psicólogo Gabriel Amado e a assistente social Letícia Possamai Della.

Coisas boas acontecem quando os amigos do SUP se juntam

A Associação Amigos do SUP de Florianópolis – ASUPF juntou forças para ajudar as crianças do projeto Tapera Stand Up Paddle.

Coisas boas acontecem quando os amigos do SUP se juntam para arrecadar 80 cestas básicas caprichadas, 80 kits com produtos de higiene e limpeza e máscaras de proteção.

O projeto é oferecido para as crianças do CCFV – Tapera (Centro de Convivência e Fortalecimentos de Vínculos de Crianças e Adolescentes da Tapera) que atende 80 crianças entre 6 e 13 anos em situação de vulnerabilidade social, vítimas de violência física, psicológica e sexual.

 

A ASUPF pediu ajuda para um grupo de 250 remadores de SUP da Floripa Stand Up Paddle que se uniram e conseguiram arrecadar TODAS as doações em dois dias. No terceiro dia as primeiras cestas foram montadas e começaram as entregas.

Além da união e solidariedade, deu para perceber que a agilidade também é o forte desse grupo.

Juntamente com voluntários realizamos as entregas na casa da família de cada uma das 80 crianças.

Coisas boas acontecem quando os amigos do SUP se juntam

Professora Carla Zenis com as crianças do Projeto Tapera Stand Up Paddle

Sentimos falta de ir na Praia da Tapera junto com a professora Carla Zenis para brincar, remar e aprender sobre a natureza. Apesar disso, estamos conectados em boas vibrações para que o afastamento acabe logo e acima de tudo que o nosso reencontro seja com saúde.

Em nome das crianças do projeto Tapera Stand Up Paddle e do CCFV – Tapera agradecemos a iniciativa da Associação Amigos do SUP de Florianópolis – ASUPF.

Foi sensacional ver o grupo que inicalmente se uniu pelo esporte e que agora também está unido pela solidariedade.

Saiba mais sobre o Projeto Tapera Stand Up Paddle nas reportagens a seguir.

 

 

Análise das condições climáticas para a prática do SUP

Nesse momento que estamos impedidos de compartilhar nossos conhecimentos através dos passeios de SUP, vamos pegar esse limão e fazer uma limonada.

O plano é continuar compartilhando nossos conhecimentos, só que agora vamos fazer isso através de vídeos e sites que vamos ensinar a usar.

Nesses vídeos você vai aprender sobre análise das condições climáticas, geográficas e atitudes para a prática segura do Stand Up Paddle.

Quando entramos no mundo dos esportes aquáticos ou dos esportes praticados ao ar livre, logo percebemos a necessidade de obter conhecimentos sobre os elementos naturais que envolvem a prática. No caso do SUP, quando aprendemos a analisar a previsão climática e a geografia do local da remada, nos tornamos capazes de planejar e realizar uma remada com segurança.

Para fazer um passeio seguro de SUP não é só pegar a prancha, remo, leash, colete salva-vidas e sair remando por aí. Você precisa ter informações sobre a geografia do local e saber qual é a previsão climática para o dia e horário da remada.

Quando falamos da condição climática, estamos nos referindo à análise da previsão do vento, tempo, mar e maré.

  • VENTO: precisa saber qual é a direção, velocidade normal e velocidade da rajada. Também é importante saber qual é a progressão da direção e velocidade durante o tempo da remada.

Foto da SUP Trip Downwind Lagoa da Conceição. Esse roteiro é realizado remando a favor do vento. Aproveitamos a força do vento para pegar uma carona e atravessar a Lagoa da Conceição.

  • TEMPO: por favor não seja o tipo de pessoa que só quer remar quando têm sol, nós entendemos que o dia ensolarado deixa a natureza mais colorida, mas não podemos esquecer que remar em dias nublados faz o corpo cansar menos.

    Seja um remador raiz se o dia estiver mais frio, é só usar uma roupa em neoprene e o nosso conforto térmico fica garantido.

    Nos dias com previsão de chuva não estamos impedidos de remar, praticamos um esporte aquático então se molhar não é problema! Se começar a chover durante a remada, é só ficar atento na incidência de raios e sair da água assim que eles começarem.

  • MAR:  quando o passeio é realizado em águas abertas precisamos ter conhecimentos sobre os aspectos que envolvem o mar. Você precisa saber qual é o tamanho das ondas, direção e o período da ondulação.

Foto da SUP Travessia Ilha do Campeche. Esse roteiro precisa ter um planejamento cuidadoso de acordo com a previsão do vento e do mar.

  • MARÉS: para remar em lugares que sofrem influência das marés, você precisar ter conhecimentos sobre o horário da troca das marés e planejar o trajeto de acordo com a variação entre a maré baixa e cheia.
    Também é importante saber qual é a fase da lua para não remar em dias com muita força de maré (correnteza).
SUP Trip Canal da Barra

Foto da SUP Trip Canal da Barra. Esse roteiro precisa ser planejado de acordo com o horário da troca das marés e a fase da lua. O plano é não precisar remar contra a maré e o vento ao mesmo tempo.

 

Cada local possui diferentes aspectos que precisam ser considerados.

Quando realizamos o roteiro SUP Trip Lagoa do Peri – Cachoeira da Gurita o principal aspecto que levamos em conta é o vento.

Na SUP Travessia Ilha do Campeche  analisamos a previsão do vento e das condições do mar.

Na SUP Trip Canal da Barra ou na SUP Trip Farol de Naufragados levamos em conta os aspectos que envolvem o vento, mar, troca da maré e fase da lua.

 

Acompanhe todos os episódios no nosso Instagram, Facebook ou no canal do Youtube  e aproveite esse período da quarentena para aprender sobre os aspectos que envolvem a segurança de uma remada.

 

Quando o período da quarentena passar você vai se sentir muito mais à vontade no mundo do Stand Up Paddle.

 

 

 

 

Um passeio de carona com o vento

Quem está em Florianópolis já deve ter reparado que o verão começou com dias de vento forte.

Então vamos aproveitar a ventania e pegar uma carona em um passeio Downwind.

Downwind é uma remada a realizada a favor do vento, não precisa fazer muita força para remar porque o vento já vai estar te empurrando.

Programação:

  • 31/12 Terça-feira: início 9h e retorno 13h
  • 2/1 Quinta-feira: início 9h e retorno 13h
  • 3/1 Sexta-feira: início 9h e retorno 13h

Acredito que esse é o roteiro mais divertido porque a ação do vento provoca ondulação na água.. é aí que começa a diversão! Passeamos 9 km com o vento a favor enquanto deslizamos pelas marolas da Lagoa da Conceição.

Durante o percurso paramos no banco de areia próximo ao Canal da Barra para curtir a paisagem e descansar. No cenário morros cobertos pela Mata Atlântica da Costa da Lagoa e toda beleza da lagoa.

  • Quando o passeio é realizado em dias de vento nordeste, iniciamos nossa aventura no Terminal Lacustre no Rio Vermelho e desembarcamos na Avenida das Rendeiras, ao lado do Bar do Boni.
  • Em dias vento sul começamos na Avenida das Rendeiras com destino ao Terminal Lacustre no Rio Vermelho.

 

  • Para participar não precisa ter experiência com SUP, antes de iniciar o passeio vamos ensinar a remada e os procedimentos de segurança. Utilizamos pranchas maiores e com mais flutuação para facilitar o equilíbrio de quem está começando.

A vaga precisa ser reservada. Entre em contato no Whatsapp (48) 99944-1220 ou clique aqui http://bit.ly/FloripaSUP

Uma experiência única em Florianópolis

 

A SUP Trip Lagoa do Peri – Cachoeira da Gurita é uma experiência única na natureza em Florianópolis.

Esporte, aventura e ecoturismo com Stand Up Paddle.

 

Confira as datas dos próximos passeios:

  • Dias 30 e 31/12: início 9h e retorno 13h
  • Dias: 1, 2 e 3/1: início 9h e retorno 13h

Passeio de SUP na Lagoa do Peri

Natureza preservada na Lagoa do Peri

O Parque Municipal Lagoa do Peri está localizado em uma reserva biológica e suas águas formam o maior reservatório de água DOCE e POTÁVEL de Florianópolis.
Esse ano a Lagoa do Peri recebeu (pelo quinto ano consecutivo) o certificado internacional Bandeira Azul que reconhece locais que cumprem um conjunto de requisitos de qualidade ambiental, segurança, bem-estar, infra-estruturas de apoio e sensibilização ambiental. (saiba mais: http://bandeiraazul.org.br/programa-bandeira-azul-temporada-2019-2020/ )

 

Passeio de SUP na Lagoa do Peri

Uma experiência completa: remada na lagoa + remada no riacho + trilha + cachoeira

Iniciamos nossa aventura pela margem da lagoa até chegarmos ao secret point, um riacho de água mansa e cristalina, onde remamos em um túnel cercado pela Mata Atlântica nativa.

Passeio de SUP na Lagoa do Peri

 

  Passeio de SUP na Lagoa do Peri

No final do riacho seguimos 10 minutos pela Trilha da Gurita, até  chegarmos ao bom banho da cachoeira.

Passeio de SUP na Lagoa do Peri

Todo mundo pode participar!

Para participar não precisa ter experiência com SUP. Oferecemos todas as instruções sobre a remada e os procedimentos de segurança antes de iniciar o passeio. Crianças podem participar sentadas na prancha, nesse caso elas não pagam para participar.

Passeio de SUP na Lagoa do Peri

  • Distância percorrida: 2 km na ida e 2 km na volta
  • Tempo de remada: 1 hora na ida e 1 hora na volta, com paradas para descanso na Cachoeira da Gurita e durante o percurso.
  • Grau de dificuldade: baixo
  • Grau de aventura: altíssimo

Quando acontece?

A SUP Trip Lagoa do Peri – Cachoeira da Gurita acontece todos os dias, desde que a condição climática (velocidade do vento) esteja adequada. Consulte-nos sobre disponibilidade.

Vagas limitadas

Reserve sua vaga no Whatsapp (48) 99944-1220

Interesse Roteiro

 

Programação fim de ano

Com a chegada do verão a temperatura vai subir nos últimos dias do ano em Florianópolis.
Vamos para o norte da ilha aproveitar as águas quentes e tranquilas das Praia de Canasvieiras e Jurerê com destino a SUP Travessia Ilha do Francês.

 

 

O plano é fechar o ano com aventura e ficar com a alma lavada para o réveillon.

Para participar não precisa ter experiência com SUP, antes de iniciar o passeio vamos ensinar a remada e os procedimentos de segurança.

 

 

Confira a programação da SUP Travessia Ilha do Francês:

  • 30/12 Segunda-feira: início 9h e retorno 13h / início 14h e retorno 18h
  • 31/12 Terça-feira: início 9h e retorno 13h / início 14h e retorno 18h

 

Guiamos o passeio com toda segurança necessária, alugamos equipamento completo e quem tem prancha também pode participar. As vagas são limitadas e você pode reservar no whatsapp (48) 99944-1220.

 

 

Confira a descrição completa da nossa aventura na Ilha do Francês:  https://www.floripastanduppaddle.com/roteiros/ilha-do-frances/

 

 

O uso do colete salva-vidas é obrigatório. Aproveite o verão com segurança.

 

Interesse Roteiro

 

 

 

Educação ambiental através do SUP

A prática esportiva em contato com natureza não deve focar apenas na atividade em si, mas também na valorização do meio ambiente do local que o esporte está inserido.

 Neste ano, o Tapera Stand Up Paddle desenvolveu atividades que promoveram a educação ambiental das 60 crianças beneficiadas pelo projeto.
educação ambiental através do supDurante a remada as crianças monitoram a presença de lixo na água e recolhem o que estiver pelo caminho. Geralmente encontramos sacolas plásticas e garrafas descartáveis boiando na água.

educação ambiental através do supRealizamos algumas remadas até a Ilha das Laranjeiras e aproveitamos para recolher o lixo que estava preso na vegetação.

educação ambiental através do supEm algumas aulas quando a condição do vento não está favorável para remada, aproveitamos para recolher o lixo da areia da praia.

 Essas atividades são o motor que desperta nas crianças a preocupação com os problemas ambientais e promovem um impacto positivo na qualidade de vida das crianças, dos moradores e visitantes da Praia da Tapera. 

Segurança: entenda a importância do leash.

O leash (também conhecido no Brasil como estrepe) é um acessório de segurança indispensável para a prática do Stand Up Paddle.

É uma cordinha feita por um tipo de borracha elástica que prende a prancha no pé do  praticante.

Ela foi criada nos anos 70 por um surfista da Califórnia chamado Pat O’Neill, para que os surfistas não tivessem que buscar a prancha na areia, toda vez que caíssem em uma onda.

Ao longo dos anos o leash deixou de ser um acessório para a comodidade do surf, e passou a ser um acessório de segurança.

“ Quando você cai da prancha é o leash que garante que ela não vai parar longe do seu alcance.
A prancha pode ser levada pelo vento ou pelas ondas e você fica à deriva.”

Segurança: entenda a importância do leash.

Quando o SUP chegou e se tornou um esporte mundialmente conhecido, o leash já era um acessório consolidado no mundo do surf e precisou passar por algumas adaptações para atender as necessidades dos remadores.

Afinal, uma prancha de SUP é muito maior e mais pesada que uma prancha de surf, portanto o leash precisa ser maior e mais resistente.

Existem dois tipos de leash:
Leash liso: ideal para remar nas ondas devido sua capacidade de esticar bastante. O tamanho do leash precisa ser no mínimo do mesmo tamanho da prancha (Exemplo: se a pessoa rema com uma prancha 10’ ela precisa ter um leash 10’; com prancha 8’ precisa de leash 8’)

“ Surfar com o leash menor que a prancha é um risco muito alto. Quando a prancha é arrastada por uma onda, o leash precisa esticar bastante para que a prancha não volte com força na direção do praticante.”

Leash espiral: ideal para remar em rios e lagoas. O leash fica em cima da prancha e por isso não oferece o risco de enroscar em alguma pedra ou galho no caminho.
Também utilizado por praticantes que buscam performance porque ficam livre do arrasto que o leash provoca na água.

E por fim, prefira um leash com sistema girador, conhecido como destorcedor. O melhor é com dois destorcedores, um em cada ponta.

Isso garante que o leash não fique contorcido e oferece mais resistência em cada esticada.

A aventura é o tesouro guardado no Embaú

A primeira SUP Trip Guarda do Embaú de 2019 aconteceu no mês de Maio, justamente na mesma época que começa a safra da tainha.

Durante os meses de Maio, Junho e Julho, a prática de esportes aquáticos fica proibida em muitas praias de Santa Catarina, por isso aproveitamos para nos aventurar em novos cenários.

Momento quando passamos por baixo da BR-101

Momento quando passamos por baixo da BR-101

Formamos um grupo de 15 pessoas e partimos de Florianópolis com destino ao Rio da Madre no município da Palhoça. Localizado no Parque Estadual da Serra do Tabuleiro, a região é tombada pela Unesco como Reserva da Biosfera da Mata Atlântica.

Em cada curva (são muitas!), o Rio da Madre proporciona paisagens espetaculares. Tivemos até um encontro com algumas Capivaras na água.

A água do Rio da Madre estava lisinha..

A água do Rio da Madre estava lisinha..

A condição estava perfeita, conforme previsto o passeio aconteceu com pouco vento, teve sol e garoa e aproveitamos a troca da maré para chegar com a maré secando no centrinho da Guarda do Embaú.

Parada para descanso durante o percurso.

Parada para descanso durante o percurso.

Não faltou animação na turma que participou, muitas risadas pelo caminho e novas amizades foram feitas.

“É uma satisfação enorme assistir a conexão que uma SUP Trip pode fazer entre as pessoas e a natureza”

Ficamos todos completamente felizes com a experiência e voltamos para casa com boas lembranças e a energia recarregada.